[ editar artigo]

O futuro diante das telas no novo normal

O futuro diante das telas no novo normal

Viramos pessoas mais digitalizadas por causa da quarentena. O fato de precisarmos ficar em casa fez com que a gente quisesse tornar as coisas mais acessíveis. 

E passamos a usar outras que já eram comum, mas em maior quantidade. Seja plataformas de filmes e série, videogames ou vídeo chamadas. Nossas pesquisas mostram que 71% da classe A tem acesso a internet. E é justo essa classe que mais faz home office. Ou seja, eles são os mais digitalizados do momento. 

Estamos ficando cada vez mais em frente as telas para ocupar as mentes e matar a saudade. O consumo de entretenimento nunca foi tão necessário como agora na pandemia. vimos que 32% das pessoas passaram a jogar jogos online por causa da quarentena, coisa a qual não faziam no pre pandemia. 

Por isso, muitas coisas foram descontextualizadas para que ainda pudéssemos ter o acesso. E se você acha que isso é momentâneo, comece a pensar que este é o novo normal. 

O Novo Normal
Michel Alcoforado
Michel Alcoforado Seguir

Antropólogo.Phd, especializado em consumo e comportamento, e sócio fundador do Grupo Consumoteca. Colunista do UOL TAB e comentarista da rádio CBN, produz e participo do podcast CAOScast e Rastros, além de ter ministrado mais de 400 palestras.

Ler conteúdo completo
Indicados para você